Seguidores

quinta-feira, 1 de abril de 2010

SINAL


Ela sempre estava lá. Não importava o dia, a hora, estava porque apesar de tudo achava mais tranquilo aquele lugar que tinha tanto movimento. Ele passava por ali, passava sempre com revistas ou um livro aberto em frente aos olhos tristes e curiosos. Um dia por um momento ele escolheu passar olhando o mundo. Ela estava no alto da torre de meninos que se equilibravam em uma pirâmide humana de molecotes sem dono, que faziam acrobacias em troca de qualquer coisa na sinaleira.
Por um momento mágico os olhos se encontraram, ela do alto da sua torre com seus cabelos emaranhados ao vento, ele do seu carro branco reluzente. Não sabiam explicar mas uma mágica aconteceu. Corações bateram forte e olhos curiosos buscavam o máximo de informações possíveis em trinta segundos. Ela quase errou o número, recebeu um beliscão na canela e pulou no asfalto quente do meio dia se recompondo. Ele se voltou para olhar mais um pouco, o carro se foi, tinha que ir para casa almoçar e depois aula de inglês e natação. Ela ficou no chão.
Por todo resto do dia e começo da noite se lembraram daqueles trinta segundos e ficaram a imaginar se haveria uma outra vez.
No outro dia tudo estava acontecendo como sempre, só que tão lento... A aula não passava, o sinal parecia ficar fechado uma eternidade...Chegou o meio dia,o sinal fechou e dessa vez ela prestou mais atenção no carro branco que dentro tinha um menino de olhos tristes emoldurados por cabelos negros. Eles se olharam, se perguntaram quantos mundos existem dentro desse mesmo mundo, ela teve vontade de parar o número acrobático que fazia, sabendo que iria receber uns cascudos dos colegas por atrapalhar o biscate, ele teve vontade de pedir para o motorista parar o carro, mas sabia que ele diria que não podia, ali era perigoso.Sorrisos foram trocados.
Os trinta segundos de acrobacias e olhares se repetiam, sorrisos trocados as vezes eram acrescidos de tchauzinhos furtivos e um dia ela arriscou e soltou até um beijinho. Eles queriam se falar, saber de que gostavam de brincar, ela queria saber que gosto teria sorvete de pistache ou Maklanchefeliz, se ele tia avó, como era escola e se na casa dele tinha piscina. Ele queria saber como ela conseguia se equilibrar daquele jeito, se tinha dez anos como ele, porque ela não estava na escola e como os olhos dela poderiam ser tão vivos.
Assim seguiu durante muitos meses:Trinta segundos no meio dia, ela trabalhando pra comprar comida, ou melhor cola que enganava a fome por mais tempo e ele voltando da escola construindo sua futura vida bem sucedida e cheia de responsabilidades. Um dia não se viram mais.Ele mudou de cidade nas férias, ela não acostumou a não ver ele na sinaleira, cheirou um pouco a mais de cola do que estava acostumada, para passar a fome e a saudade dos olhos tristes, dormiu e não acordou mais.

14 comentários:

  1. Se adormeceu e nunca mais acordou, sinal que nas asas do sonho voou.
    Feliz Pascoa
    Mil beijos
    Rachel

    ResponderExcluir
  2. nossa... mexeu aqui.

    e o final, tal qual tantos outros finais de histórias de (não) amor.

    ResponderExcluir
  3. Magnífico!!! A tristeza tem na arte as suas asas...

    ResponderExcluir
  4. Voou alto na imaginação. pena que não somos solidários como deveria sermos.
    Bjos e abraços.

    ResponderExcluir
  5. Olá Dea

    Por tantas vezes olhamos tão cabisbaixos que não vemos as verdadeiras belezas... A vida então vai passando por debaixo de nossos pés...

    Por um instante... Se nos permitimos... A mágica acontece! No caso a diferença de classes... Mas, nos olhos dela tal brilho que ele não entenderá... Mudança... Profunda escuridão... Pena que a historia não mais continua para os dois.

    Que TOP Dea! Prova de que o teatro corre em suas veias.

    No mais espero que você tenha tido uma ótima páscoa!

    Bjuxxx e xerooo

    ResponderExcluir
  6. Raquel mesmo quando não concretizado alenta saber que o amor existe de alguma forma , não é mesmo?

    Maria que bom que mexeu com vc, que bom que de alguma maneira o que escrevi tocou o sentimento de alguém.

    Emerson as vezes quando estamos tristes conseguimos ver coisas, nuances que a alegria, a euforia pode esconder, a tristeza também pode ser bonita(apesar de preferir a felicidade rsrsr e achar que ser feliz o tempo todo é quase impossivel e cansativo) é como vc disse quando triste parece que nos inspiramos mais porque a felicidade quando surge, ainda bem é absoluta.

    É Lu tá faltando as pessoas olhar um pouquinho pro lado.

    Luis Prazer é ter vc aqui e poder visitar seu blog.

    Oi Ju quanto tempo. É quando permitimos a mágica acontece

    ResponderExcluir
  7. Na emoção o excesso do sentir.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  8. Roco sentir, acho bom no superlativo.

    Patricia que bom que consegui trazer alguem com meu texto.

    É meu querido Lobo Pensador as vezes amar dói.

    Venha sempre Rebeca e não vamos perder contato não pq seu cantinho também é maravilhoso.

    Mário saudade palavra linda, as vezes também é bonita de se sentir e tudo isso que vc falou é mais que certo

    Beijão pra todos

    ResponderExcluir
  9. Um dia não se viram mais... e dormir pra sempre... coitadinha! Tantas possibilidades na sinaleira e ela me vai logo onde não deve? Melhor pra ela estar cha p ada mesmo! Triste como a historia de amor das minhas amigas! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  10. Meco pq ir onde não deve? E desde quando amor tem fronteira? rsrsr

    Di fui no seu blog, modelão, bailarina toda cheia de arte.
    Agora me diga dormir de dia é tudooooooo né? rsrsr

    ResponderExcluir
  11. Uau!
    Ao te ler, fui imaginando esse momento mágico no qual os olhares se cruzam, o tempo para e todo o resto perde a importância. Como é bom acordar, sabendo que, mesmo que por apenas 30 segundos, todo aquele sentimento vai nos invadir... Só que junto vem a realidade que insiste em nos lembrar que não vivemos um conto de fadas.
    Emocionante, real. Gostei!
    beijo!

    http://meninamisteriosa.wordpress.com/
    http://www.aceuabertodaboca.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Essa menina sonhou alto.Desde quando na vida real,as pessoas de classes sociais tão diferentes podem ambicionar algo mais que um simples olhar?
    Não vivemos contos de fadas, vivemos a dura realidade onde os ricos e os pobres não se misturam, principalmente quando são crianças.
    Assina:
    Katy

    ResponderExcluir
  13. É Menina Misteriosa mesmo que por 30 seg um amor correspondido vale muito a pena.

    Katy sonhar ainda não é proibido pra ninguém e sabe contos de fadas as vezes acontecem

    ResponderExcluir

Que bom que deixou a sua opinião, volte depois que te respondo aqui mesmo. Beijão