Seguidores

sábado, 15 de setembro de 2012

MUITO SE RESOLVE DA JANELA DO ÔNIBUS



Angustias, dúvidas, saudades, amores não correspondidos, dores de cotovelo, adeus mal dados, amores platônicos, decisões urgentes, crises econômicas, tudo isso por muitas vezes se resolve ou ameniza  olhando através de uma janela de ônibus. Enquanto passam casas e seus jardins, comércios, prédios e praças, outros carros com seus donos trancados em ar-condicionado, lixo, gente e bicho, vejo pelo quadrado um tempo congelado. Vejo as questões como num mundo paralelo, num distanciamento, como se por um momento tudo ficasse em suspenso, os sons filtrados pelas músicas que escuto, olho de fora o que me pertence e o que não me pertence. Janela conselheira, divã de pobre, sem cobrar nada, sempre cheia de clientes. 

5 comentários:

  1. E é por isso que odeio ônibus que colocam filme preto atrás do cobrador...(pra falar a verdade, eu odeio todos os ônibus!Heheheh!Eles só relaxam se tiver uma vaga na janela!)

    Uma maravilhosa semana pra vc caríssima amiga!Que Deus te dê vários amigos próximos pra vc usar de analistas ao invés dos ônibus!Heheheh!

    ResponderExcluir
  2. Teu blog é lindo! Parabéns!
    Vem conhecer o meu:

    leiakarine.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Felizmente acertaram minha net antes do previsto. Então, voltei, como havia dito. Não estava enganado. Seu blog é msm muito bom. Aconchegante.
    Adoro viajar, seja de ônibus, carro, ou avião. Adoro olhar pela janela, não sinto o tempo congelado. Sinto que tudo passa. É o que me conforta quando estou depressivo.

    Até mais ler.

    ResponderExcluir
  4. Que é isso Anderson. Sabe que misturo as coisas de leve, não sou forever alone rsrsr.

    Karine seja bem vinda, vou sim.
    Brigadão Eu não escrevo Português

    ResponderExcluir
  5. Mas, por outro lado, muitas vezes um olhar atento, atravez de todas as janelas, em nada altera a «crua» realidade.

    Beijo

    Paulo

    ResponderExcluir

Que bom que deixou a sua opinião, volte depois que te respondo aqui mesmo. Beijão